ESCUTAR, INTERPRETAR, ABENÇOAR e SORRIR.

Ser livre é ver o outro na inteireza que ele é. Cuidar do outro não é julgar nem catalogar. Temos que cuidar da nobreza no outro e não tratar a ‘doença’. O cuidar passa por quatro pontos:

1. Escutar: o infra-humano em nós (o mineral de nossos ossos, o vegetal de nossa flora, o animal de nossas emoções. Um exercício… observar nossos pensamentos, nossos ressentimentos. Ressentimento é um veneno que tomamos, esperando que o outro morra…

2. Interpretar: escutar não significa ouvir. Os animais ouvem… o humano interpreta… Interpretar é extrair o sentido, extrair os sentidos, os significados. Extrair os sentidos é observar sem nossos sentidos, sem os cinco sentidos. A pior dor é aquela para qual não vemos nenhum significado. Somos livres na medida de nossa capacidade de interpretar e ressiginificar. O ‘para quê’ é mais importante do que o ‘porquê’… Temos que assumir a autoria de nossa própria existência. Se sou capaz de interpretar, nada me derrota, pois aceito o inaceitável…

3. Abençoar: abençoar é jamais rotular o outro, pois não nunca somos nada, sempre estamos sendo alguma coisa. Abençoar é ‘bem te ver’, trocar energia, trocar amor. Estamos condenados a amar. Abençoar é nos inclinarmos para o outro, perante o outro, para poder nos encontrar com ele. Abençoar é agradecer… tudo aquilo que não uso (esquecido em algum canto de meu lar), tudo aquilo que não agradeço (a comida que ingiro, ou o ar que respiro) são coisas que estou roubando. Roberto nos lembra que somos ladrões. Abençoar é acolher o outro a partir do melhor dele..

4. Sorrir: O julgamento é o fracasso da bênção, o sorrir é a sua apoteose. Sorrir, sorrir… é pelo olhar que mudamos a nossa psique… que bom poder ver um sorriso…

A fonte de toda tragédia humana é pensar que somos de verdade…

Extraído da palestra do prof. escritor e Terapeuta Transpessoal, Roberto Crema, dia 19 de setembro de 2008 na UNIPAZ-CE.

Deixe um comentário


− três = 6