Omraam Mikhaël Aïvanhov

“Vós podeis dar todos os medicamentos que quiserdes a um cadáver que ele não se re-erguerá, pois perdeu a vida. Está claro, portanto, que, qualquer que seja a eficácia de um medicamento, para alguém que já não tem vida ele não servirá de nada. A vida é que conta. Por isso, vós deveis ocupar-vos da vida: purificá-la, reforçá-la, para que ela circule abundantemente em todo o vosso organismo; só nessa condição é que os medicamentos poderão ser eficazes. Se as diferentes funções do vosso organismo estiverem ao retardador, os medicamentos não poderão ajudar-vos e, pior do que isso, até irão obstruir os circuitos em vós.

Há tantas pessoas que vivem de qualquer maneira, sem se preocuparem com a sua saúde! Eles pensam que, se ficarem doentes, só terão de tomar medicamentos. Não, os medicamentos só serão verdadeiramente eficazes se, com um comportamento sensato, se tiver sabido preservar em si a vida.”

 
“Por que é que, por vezes, vos acontece sentirdes-vos invadidos por forças, entidades, que saqueiam os vossos jardins interiores, roubam as vossas riquezas, apagam as vossas luzes? Porque não soubestes ligar-vos ao Céu. Vós queixais-vos: «Não sei o que se passa… Sinto-me mal, estou angustiado…» E, para sair desse estado, procurais distrair-vos, ides à farmácia, ao médico… Mas as distrações, os farmacêuticos e os médicos não têm qualquer eficácia em relação a isso.

Para escapardes a essas entidades obscuras e malfazejas que podem atacar-vos, o único meio é procurardes entrar em relação com as entidades celestes, abrir-lhes o vosso coração, o vosso intelecto, a vossa alma, o vosso espírito, para que a sua luz e as suas bênçãos desçam até vós, vos purifiquem, vos alimentem. As criaturas inferiores não podem opor-se às correntes poderosas que vêm das regiões celestes, são repelidas.”

 
“Qualquer atividade, por mais insignificante que seja aparentemente – um movimento, um sentimento, um pensamento, uma palavra –, produz necessariamente efeitos bons ou maus. Por isso se pode dizer que a magia é a primeira das ciências. Basta um movimento, uma influência, uma impressão, uma vibração, para se entrar no domínio da magia. Sempre que um ser age sobre outro ou sobre um objeto, realiza um ato mágico. Mas as pessoas olham, falam, pensam, têm desejos e sentimentos, fazem gestos, sem se aperceberem de que todas as forças que elas assim fazem agir são forças mágicas. Muitas vezes, na sua ignorância, acontece-lhes porem em ação forças negativas que se voltam contra elas e, quando são apanhadas, mordidas, não compreendem o que lhes acontece.

É importante, pois, que cada um aprenda a trabalhar sobre os seus pensamentos, os seus sentimentos, as suas palavras, os seus gestos, o seu olhar, para que as forças desencadeadas por cada uma das suas atividades físicas ou psíquicas produza unicamente efeitos benéficos… benéficos para ele, mas também para todas as outras criaturas no mundo.”

 
“Para imensas pessoas, dormir é ainda unicamente considerado como uma função fisiológica. Elas estão fatigadas e adormecem. Exatamente como comem porque têm fome, sem tomarem consciência de que o sono, tal como a nutrição e todas as outras funções fisiológicas, pode ser vivido a um nível mais elevado do que o plano físico. Vós verificareis isso se adquirirdes o hábito de, no momento de adormecerdes, vos preparardes dizendo: «Senhor, durante o meu sono, eu quero instruir-me. Aceita-me na tua escola de amor, de sabedoria e de verdade, para que eu aprenda a dar um sentido cada vez mais rico à minha existência.»

No dia seguinte, quando despertais, abri os olhos conscientemente e, durante alguns minutos, começai por analisar o vosso estado interior, os pensamentos e os sentimentos que vos vêm. Descobrireis que recebestes uma solução para um problema, esclarecimentos sobre uma questão que vos preocupa… Não vos levanteis sem ter feito esse exame.”

 
“Graças à química e a diferentes técnicas, a medicina fez grandes progressos, não se pode negar isso. Mas a melhor medicina consiste em pôr os seres em condições que reforçam os sistemas de defesa do seu organismo, ou seja, muito simplesmente, que reforçam a vida neles. Sim, só a vida é realmente poderosa. Vede como ela faz para cicatrizar as feridas, rebentar um abcesso, fazer crescer uma nova pele…

Contudo, esta vida tão preciosa é o que há de mais negligenciado. Os humanos envolvem-se em toda a espécie de atividades desordenadas nas quais desperdiçam a sua vida: empobrecem-na e esgotam-na ao ponto de ela já não ser capaz de remediar a menor indisposição. Então, eles recorrem a pastilhas, a pílulas… Mas trata-se de substâncias mortas! E se os prevenirem: «Atenção, você está a perder todas as suas energias!», eles ficam admirados. «Como? As energias existem para serem gastas!» De acordo, mas gastas com sensatez e não delapidadas.”

 
“Acontece-vos muitas vezes viver sensações que não têm qualquer relação com a realidade objetiva do momento. A qualquer hora do dia, e no meio das piores dificuldades, podeis viver interiormente o surgir da aurora, porque a vossa consciência passa por uma região onde, efetivamente, o sol está a nascer e vós recebeis os seus raios. Mas também acontece o contrário, evidentemente.

Quanto mais souberdes observar-vos, melhor compreendereis os diferentes fenômenos e acontecimentos da vossa vida psíquica, que têm correspondência com os que ocorrem na natureza: as auroras e os crepúsculos, o céu azul e as tempestades, o calor e o frio, as claridades e os nevoeiros… É tão importante aprender também esta meteorologia! Mesmo sem terdes consciência disso, viveis interiormente num mundo feito de substâncias e materiais imponderáveis, impalpáveis, mas bem reais. No dia em que sentirdes a realidade deste mundo invisível, descobrir-vos-eis numa dimensão nova.”

 
“Impregnai-vos bem deste pensamento de que tudo o que existe no Céu tem uma correspondência na terra, porque a terra é um reflexo do Céu. Sim, apenas um reflexo, e se vós quereis realmente conhecer a plenitude, que é um estado da alma e do espírito, não é na terra que deveis procurá-la, mas no Céu.

O homem é um espírito que vem do Céu e, para poder trabalhar no plano físico, ele deve entrar num corpo. O corpo físico é para o espírito do homem o que o universo é para Deus. Sim, o universo, a natureza, representa o corpo físico de Deus. Deus tem um corpo formado por uma quantidade de centros e de órgãos, e o nosso corpo e à imagem do corpo de Deus. Mas este corpo só pode ser animado se estiver habitado pelo espírito. O espírito é a manifestação da presença de Deus em nós. Quando o espírito vai embora, leva com ele a consciência, a vida, e no corpo só ficam elementos físicos que acabam por desagregar-se. Para permanecerem vivo, o corpo, a terra, nunca devem cortar a ligação com o espírito, com o Céu.”

 
“Adquiri o hábito de vos analisardes para vos aperceberdes dos impedimentos, das cortinas que, inconscientemente, formais em vós próprios. Se, por exemplo, considerais os exercícios necessários ao vosso avanço espiritual como obrigações penosas, eles nada vos trarão, pois não envolveis neles a vossa alma. Estai conscientes daquilo que, em vós, se opõe a tudo o que poderia ajudar-vos.

Em cada momento do dia, tendes ocasião de fazer exercícios que vos libertarão. Não considereis esses exercícios como um frete que fazeis, mas como meios para vos salvardes. Pouco a pouco, correrá em vós uma vida nova que harmonizará tudo. Parai de erguer barragens no vosso próprio caminho considerando como aborrecidos, pesados e inúteis os exercícios que eu vos indico e que nós fazemos aqui. Fazei-os com amor, com alegria, e em breve já não passareis sem eles.”

 
“Não penseis que ireis descobrir no exterior de vós o que não descobristes primeiro em vós. Sim, pois, se não se encontrou já interiormente aquilo que se encontra no exterior, passa-se ao lado e não se vê nada. Assim, quanto mais vós descobris a beleza interiormente, mais a descobrireis naquilo que vos rodeia. Podereis pensar que, se não a vistes antes, foi porque ela não estava lá… Ela estava lá, sim, mas vós não a víeis porque era em vós que faltava qualquer coisa. Agora, que descobristes a beleza em vós, também a vedes no exterior.

Tudo o que nós somos capazes de ver no mundo exterior é apenas um reflexo do nosso mundo interior. Por isso, também não espereis encontrar o amor, a sabedoria, a pureza, a verdade, etc., se primeiro não vos tiverdes esforçado por procurá-los e desenvolvê-los em vós.”

Deixe um comentário


× um = 5