Omraam Mikhaël Aïvanhov

“Pode suceder que os membros da vossa família que deixaram a terra, e em particular os vossos pais e os vossos avós, venham visitar-vos, pois eles não vos esqueceram e querem saber aquilo que fazeis desde que partiram. Quando eles vos veem empenhados no caminho do bem, da luz, ficam felizes, mas, se assistem a recuos, a quedas, sentem-se traídos pelos seus filhos ou netos.

Ao observar-vos, eles são também levados a questionar-se sobre o modo como agiram durante a sua vida na terra, mas também sobre a educação e o exemplo que vos deram. Eles compreendem aquilo que descuraram, em que é que erraram, e tentam introduzir-se em vós para vos aconselhar. Por isso, quando encontrais dificuldades, quando passais por provações, podeis dirigir-vos a eles e pedir-lhes ajuda.”

 
“De certa forma, a morte não existe: ela está contida na vida, é apenas uma mudança de plano e de vestes, para que nós possamos progredir na compreensão da vida. Sempre que um ator de teatro tem de interpretar um novo papel, muda de roupa e também de parceiros de palco, e este novo papel ensina-lhe mais alguma coisa acerca de si próprio e dos outros.

Pois bem, também nós não podemos eternizar-nos num mesmo papel e, após um certo tempo, devemos deixar o palco do mundo. Chama-se morte a esta saída de cena, mas, na verdade, só existe a vida ininterrupta. O ator continua a viver após o espetáculo… Temos de habituar-nos a ver a existência como uma continuidade. Os humanos têm o mau hábito de traçar fronteiras em toda a parte: entre o espiritual e o material, entre a vigília e o sono, entre a vida e a morte…. Não, a existência é una.”

 
“A vida após a morte é apenas a continuação, sob uma outra forma, da vida presente e, portanto, prepara-se agora. Alguns dias depois de a alma ter deixado o corpo, fica definitivamente separada dele. Mas tudo o que esse corpo viveu e que ficou inscrito nele, gravado nele, é indestrutível e continua a exercer uma influência sobre ela. Por isso é tão importante procurardes sempre a melhor maneira de utilizar as vossas energias: com tudo o que tiverdes feito de bom e de belo na terra, podereis continuar a construir qualquer coisa no outro mundo. Não basta a vossa alma estar liberta do corpo para vós viverdes na paz, na alegria e na luz quando fordes para o além.

A paz, a alegria e a luz serão apenas a consequência daquilo que tiverdes sido capazes de realizar durante a vossa existência terrestre.”

Deixe um comentário


cinco + = 10