A GRANDE MUDANÇA
Excertos das canalizações de Tom Keyon com os Hathores

 

Capítulo catorze ))) OS HÓLONS

O HÓLON DA IMUNIDADE

Ele [o hólon da imunidade] parece mais absorvido pela nossa consciência quando estamos dormindo e o aspecto mental está de certo modo suspenso? Se parece, até que ponto ele é mais eficaz durante o sono?

Nós diríamos que, em termos de passividade, ser receptor de um som durante o sono é provavelmente um nível superior a ouvir um som em estado de vigília. No entanto, esse é um nível de recepção inferior.

Nosso entendimento e nossos métodos envolvem uma cocriação consciente entre o receptor e os sons. Em outras palavras, é o foco de sua atenção mental nas vibrações do som que cria a maior transformação. Com certeza, numa pequena minoria de pessoas, seus próprios problemas pessoais intervêm, por assim dizer. Suas distorções, seus conflitos egóicos, podem impedir que elas se sintonizem com o som quando se encontram em estado consciente de percepção. Para tais indivíduos, ouvir enquanto adormecem é um método eficiente, mas, em termos gerais, assumir a responsabilidade pela cocriação é algo muito superior e leva a um nível mais elevado de maestria. A concentração do foco mental – a atenção plena – na textura e pulsação do som cria efeitos em cascata através de muitos níveis de seu ser. Esse é o modo superior de ouvir todos os tipos de som usados com o propósito de curar.

No contexto de ouvir conscientemente e de cocriar – que dizer, quando você ouve um som com total atenção -, ocorrem muitos fenômenos. Um deles tem a ver com a sintonização das frequências sonoras com locais específicos do corpo físico ou do campo energético. Se você estiver com a atenção consciente voltada para o som, poderá perceber sua ressonância em seu corpo ou campo energético. Se isso ocorrer, coloque a atenção na pulsação de seu corpo ou campo energético, como também no som. Essa é uma maneira extremamente estimulante de ouvir.

Muitos estados de consciência surgem quando você ouve conscientemente, inclusive, e paradoxalmente, estados de aparente inconsciência profunda. É como se você estivesse ouvindo e, de repente, se ausentasse. Nenhuma percepção do som. Nenhuma percepção de si mesmo. Pode haver a sensação de ter ido para algum lugar, mas sem nenhuma idéia de para onde, ou pode ser simplesmente um período de “apagão”, em que a pessoa num profundo estado de inconsciência, mas não está dormindo. Existem várias razões para isso. Às vezes, as pessoas passam para outro domínio ou esfera de seu ser e, ao fazerem isso, elas entram num estado de semi-consciência. Isso ocorre porque elas não têm uma ponte, por assim dizer, de sua percepção consciente para outras dimensões delas mesmas. E, assim, as vibrações do som podem gerar uma resposta no indivíduo que o leva a viajar para essas outras esferas de si mesmo, sem nenhuma consciência do que está fazendo. Quando a pessoa retorna para a percepção do corpo e do som, ela se dá conta de que esteve inconsciente.

Outras vezes o som torna muito baixa ou lenta a atividade das ondas cerebrais, estado que os cientistas humanos chamam de delta. Esse é o estado do sono. Quando o indivíduo responde ao som, se o som o leva para dentro, quer dizer, para os seus mundos interiores de percepção, ocorre um aumento da atividade cerebral limiar que os cientistas humanos chamam de teta. É nesse estado que ocorrem os sonhos, as visões e as imagens transformadoras e, quando o indivíduo desce para esse estado teta, ele se encontra no limiar do estado delta, ou do sono. Em alguns indivíduos, por tanto, o som os leva para dentro e parte desse processo os leva ao estado de inconsciência. Diríamos que esse tipo de inconsciência é um estado cujo processo ocorre no interior do próprio sistema nervoso do indivíduo, sem nenhum trânsito ou passagem para outras esferas do ser. Existem, portanto, muitos estados e fenômenos que surgem em resposta ao som, especialmente quando ouvido conscientemente.

Deixe um comentário


+ três = 11